Você está lendo o Artigo:

A beleza e a leveza da força

Uma conversa inspiradora com Carol Lima, a RP que vive o Outubro Rosa a caminho da cura #EstiloDeVidaCoza

Conteúdo

Em cada desafio, o caminho pro novo. A oportunidade de perceber outras maneiras de enxergar o dia a dia – e até quem a gente é.

Carol Lima cultiva um olhar leve sobre a vida. Foi bem no período do Outubro Rosa que ela recebeu o diagnóstico de câncer de mama, ainda em estágio inicial. A notícia chegou sem espaço pro desespero. "Vai dar tudo certo. Não tinha como mudar o resultado daquele exame. Era só algo que veio fazer uma visitinha no meu organismo", pensou.

"Em momento algum perguntei 'porque eu?', 'o que eu fiz de errado?', eu aceitei e foquei no que eu poderia levar daquela experiência."

Um necessário pause na carreira como Relações Públicas, em Porto Alegre, levou Carol a experimentar outras formas de ver a vida – e também a si mesma. Novos olhares sobre a autoestima surgiram: cortar o cabelo, que antes ia até a cintura, foi uma chance de "experimentar a si mesma".

"Fui olhar pro outro lado da beleza. A beleza que vem de dentro pra fora."


Com a consciência de que só a Carol sabe o que faz bem pra Carol, nasceu um diálogo interno. "É maquiagem? Um batom? E se eu colocar um chapéu, eu vou me sentir bem?", eram questões diárias. Tudo em prol do bem estar. "O autoconhecimento me fez enfrentar essa fase de uma forma muito mais fácil." 

O autocuidado sempre fez parte da vida de Carol. Rituais de bem estar não faltaram nem nos dias mais caseiros. "Me olhar no espelho, fazer um massagem, tocar a mão no meu rosto... Sentir a tranquilidade." 

Esse carinho consigo mesma foi fator decisivo na luta contra o câncer, desde o começo. "Foi o tipo de informação repassada pelo Outubro Rosa que me incentivou a fazer o autoexame e descobrir rápido que existia algo diferente no meu corpo."



Pra Carol, o Outubro Rosa carrega a força da coletividade. A campanha incentiva mulheres a conhecerem a si mesmas, e a trocarem experiências. Quem já passou por essa fase se engaja e compartilha toda a sua força. Troca de inspiração de força de vontade.

"É uma luta por direitos, por acesso ao tratamento, por acesso ao diagnóstico no médico. As filas são grandes e às vezes as pessoas não têm acesso a um médico. O Outubro Rosa é pra mostrar que temos direitos e escolhas, que a mulher tem liberdade – e os homens que passam por isso, também."

"A gente cria uma corrente do bem."


Sua plena recuperação está prevista ainda pra esse ano. Desde já, ela espalha positividade e leveza por onde passa – seja com amigas que se motivaram a fazer os exames de rotina, seja com suas parceiras de luta no IMAMA, ajudando na conscientização, prevenção e tratamento do câncer de mama.

A Carol convida você a participar da luta. Procure os eventos da sua cidade voltados ao Outubro Rosa.

E se você for de Porto Alegre como ela, participe da Caminhada das Vitoriosas. Veja os detalhes aqui.